Tens tudo

O que me falta? Uma maquina? Uma lente? Tempo? Inspiração?

Na verdade, não me falta nada. O que existem são sim constrangimentos auto-impostos. É a maquina que já não é boa que chegue, são as lentes que não são as melhores, é o tempo que embora abunde parece escarso, é a inspiração que vem ter comigo de todos os cantos, mas que teimo em não ver.

Passamos todos demasiado tempo a olhar para os nãos, à procura do próximo problema, para justificarmos o fracasso imposto a nós mesmos. Somos o nosso maior inimigo, quanto temos vergonha de sacar da maquina à hora de almoço, no nosso trabalho das 9 às 18, por medo de ouvir “olha-me este, agora é fotógrafo”. E se eu sonhar mesmo ser fotógrafo, qual o problema? E se o meu sonho não é passar o dia sentado a ver pela janela o tempo voar? Ver as cores de um pôr-do-sol e não ter a inércia de me levantar por 10 minutos e tirar-lhe umas fotografias, por mais simples e básicas que possam ser. Temos medo de falhar? Temos, mas nenhum investidor teve ganhos sem risco. Muitos, como eu, têm tudo. As máquinas, as lentes, o tempo e a inspiração. Mas também temos a mais, medo, falta de confiança, sentimento de ser julgados por gostarmos do que gostamos.